Coats

×

A linha que une

Do Brasil à Barcelona, a influência da Coats pode ser vista em alguns lugares surpreendentes

A Coats iniciou sua vida como uma empresa têxtil em Paisley, Escócia, no século 18, chegando à América, Europa e Índia durante o século 1800 e, então, expandindo rapidamente para se tornar uma das primeiras empresas multinacionais durante o século 1900.

Essa expansão resultou em algumas influências interculturais interessantes em lugares inesperados, como a observação de um sautor (também conhecido como Cruz de Santo André, podendo ser visto na bandeira escocesa) acima de um edifício na vila catalã de Borgonyà, perto de Barcelona.

Esse foi o local onde, em 1895, a Coats trouxe mais de 200 de seus funcionários de Paisley para trabalhar em uma nova fábrica que utilizava energia hidráulica do Rio Ter próximo. Para fazer seus funcionários se sentirem em casa, a empresa construiu chalés tipicamente britânicos, assim como uma igreja, escolas e uma agência dos correios. A produção floresceu na região até a década de 1980, quando o setor têxtil enfrentou desafios sem precedentes, e a Coats teve que fechar a fábrica e vender as casas.

Porém, o legado da Coats permanece vivo em Borgonyà. A vila, agora um patrimônio nacional, preservou suas conexões com a Coats e Paisley para atrair visitantes interessados em aprender sobre a herança industrial da região e a contribuição para o setor têxtil. E o time de futebol da vila, o Club Deportivo Borgonyà, formado originalmente pela Coats para dar aos funcionários algo para fazer no tempo livre, atualmente mostra com orgulho suas influências culturais duplas, com um kit que exibe tanto um sautor quando as listras amarelas e vermelhas da bandeira catalã na parte de trás das camisas dos jogadores.

Nosso legado esportivo também se estende ao Brasil. Archie McLean foi um engenheiro nos moinhos da Linha Anchor da Coats, em Paisley, antes de se mudar para São Paulo em 1912 para trabalhar na Coats Corrente. Um ótimo jogador de futebol, Archie criou um time para jogar na liga local de São Paulo. Seu estilo único de jogar, caracterizado por passes rápidos e curtos e dribles complexos, logo chamou a atenção dos fãs brasileiros de futebol. Esse era um estilo novo para muitos espectadores, e um que foi rapidamente adotado e adaptado para se tornar o estilo de jogo brasileiro único (e bem-sucedido) que o mundo conhece atualmente. Archie retornou à Escócia na década de 1940, mas ainda é considerado por alguns como “O Pai Esquecido do Futebol Brasileiro”.

De volta à Paisley, onde nossa história começou, o legado construído pelas famílias Coats e Clark (Cotas se uniu aos Clark na década de 1890) permanece uma parte evidente da construção da cidade. O Observatório, os Jardins da Fonte, a biblioteca e o museu foram todos dados à cidade pela família Coats, e os Clark contribuíram com um alto valor para a construção da prefeitura de Paisley.

A Coats segue mantendo laços com seu local de nascimento. Em 2017, a Coats apoiou a licitação de Paisley para se tornar a Cidade da Cultura do Reino Unido em 2021 e, em abril de 2018, nós reconfirmamos nosso compromisso financeiro com os projetos promovendo os planos de legado de licitação ambiciosos de Paisley.

Saiba mais sobre a nossa herança